30 agosto 2008

Os sentidos

Meus queridos amigos(as), muitas vezes somos acometidos por sentimentos profundos, como por exemplo a tristeza, nos tornamos um tanto quanto "depressivos", mas porque exatramente? Por nos vermos em um mundo sem volta, por ver que poucas pessoas tem uma visão como a nossa, em ver que somos dependentes de algo maior, precisamos de algo maior sem medidas ou dimensões humanas. O pensamento.
As vezes nos deparamos conosco mesmo, vemos que estamos sozinhos neste planeta, que nada pode ser feito em relação a isso, que por mais que você tenha pensamentos produtivos, e seja de fato alguem que pensa num "algo diferente" parece que nada resolve, ninguem consegue ver a falta de pensamentos está deteriorando a vida racional humana, que pensar não é um ato exclusivo de filósofos, muitas pessoas deixam de lado a razão para viver num mundo "social" da qual só irá satisfazer seu lado animal. Meus queridos, somos todos dotados de razão, então somos todos filósofos porque pensamos, e não é a primeira vez que digo isso.
Sinceramente eu já me cansei disso, pregar filosofia para pedras não é minha praia, quantas pessoas vivem isoladas pelo simples fato de serem pensantes, porque é vista como louca, essa porcaria desse post ta parecendo um desabafo, e de fato o é, quero apresentar-lhes o mundo visivel social do qual vocês fazem parte, onde existe um criador de aranhas num mundo onde se cria bombas atomicas!
O que há de errado com o mundo? a cegueira da mente? o estado de espirito? a surdes de um ouvido que "escuta"?, somos baratinhas tontas num mundo de elefantes, onde se você contradiz a grana que alimenta os elefantes você é simplesmente esmagado e jogado para fora desse mundo. Tenho me isolado sim, e não estou sentindo falta do mundo. Pregar pensamentos bem elaborados para pedras que apenas estão ali servindo de peso e instrumento de manipulação para que? e ainda se acham o maximo porque podem ir numa bela boate, e a mente vai para o inferno mesmo, esse tipo de pessoas não tem mente, tem lixo na cabeça.
Olha, parabéns a você pensante que procura por conhecimentos, divirta-se sim, mas preocupe-se com o que você estará levando daqui, porque um dia você irá virar pó e você terá o que na mente?!! Saiba que este blog é seu refugio, onde você, pensante, pode estar, pode desabafar e falar o que pensa, porque, tanto eu quanto a Brennah, podemos ouvir e não somente escutar, sabemos ler, e não somente decifrar letras.
Perdoe-me pelo momento de desabafo
GRATO

2 comentários:

Camponês disse...

é sempre bom saber q tem pessoas que gostam de pensar, não q tenham a mesma opnião e os mesmos gostos, mas o único prazer de nossa amizade q consideramos pelo simples fato de pensar. Por muitos sou louco, burro, o tonto, o mais viajado de todos, o menino que não cresceu... Mas que falem pois sou tudo isto e muito mais, gosto de como penso e faço tudo acontecer, e pq ainda sigo uma conduta de acordo com esta sociedade?! penso que dela posso tirar algum proveito até no dia q me der na telha de ir para uma ilha no meio do nada, ou resolver jogar tudo para o alto, ou melhor... Faço parte desta sociedade já q estou aki, porque não rir, vou fingir ser o tonto q faz palhaçadas e deixar caçoarem enquanto eu rio de seus "nobres" conceitos, um riso mútuo... deito me para este mar turbulento com a certeza de longe estarei...

Brennah Enolah disse...

Olá querido, quanto tempo...

Gostei muito de seu desabafo, acho pertinente ao momento pelo qual passamos, e penso que você está certo.

Não desperdice seus pensamentos com mentes mesquinhas e obtusas, não queira transformar asnos em unicórnios. Realmente a filosofia, o pensamento racional não é para todos, e não estou querendo ser pretenciosa ao dizer isso. Todos nós sabemos que existem pessoas e pessoas; alguns são conscientes outros simplesmente não querem se dar ao trabalho de pensar.

Não jogue pérolas aos porcos, creio que os interessados aparecem naturalmente, e os ignorantes se repelem com a mesma naturalidade.

Bjos querido, não se deixe aborrecer, tente entender que a mediocridade é algo que encontraremos com muita freqüência.

Até breve.